domingo, 9 de novembro de 2008

o meu jardim não é mais o meu jardim

durante seis meses tentei de todas as maneiras garantir esse direito: o jardim é meu! roseiras eram replantadas e outras substituídas todos os dias, lara e jade montaram um império de destruição. elas arrancavam sem piedade e eu consternada, pedia perdão as pobres roseiras e as plantava novamente. então em uma manhã de domingo entreguei as duas o meu jardim. senti uma tristeza profunda, pois não teria mais o goso de contemplar as belas rosas que alegravam o meu coração e os dias tão fatigantes de meu existir. mas tomei uma decisão. se não posso ter jardim vou ter um pomar... plantei duas jaboticabeiras, um pé de pinhas, uma pitangueira. estou na espera dos frutos, as vezes olho para cada uma delas e prometo que um dia talvez terei rosas novamente. lara e jade se aquietaram um pouco, só furam buracos e ficam com o nariz parecendo nariz de palhaço, elas são felizes assim... queria que elas ficassem sempre limpas, perfumadas, mas com certeza não é o querer das duas. rosinha, a moça que cuida dos banhos e dos lacinhos briga com elas o tempo todo. todas as quintas-feiras é a mesma história: banhos, lacinhos, terra. todo o encantamento do dia é muito passageiro... será que elas nasceram rosas e querem que eu as plante no jardim?
sim, estou radiante pois hoje vi que a pinheira está em flor e logo logo poderei saborear um de seus frutos. e tenho certeza que o pomar é meu e de todos que sonham com rosas no domingo.
gigi pedroza

2 comentários:

Fadinha disse...

Oi amiga querida...há dias não passo por aqui. Amei o texto!!! Que bom que econtrastes uma forma de ter o seu pomar e elas o jardim...hheheh... beijosss

Francisco Castro disse...

Olá amiga Gigi, eu lhe desejo muito sucesso nesse ano de 2009. Que você, sua família e todos aqueles que gostem de você tenham muitas felicidades, saúde e não tenham problema de desemprego ou qualquer outro efeito negativo da crise econômica.

Excelente 2009 a todos!

Abraços