domingo, 2 de novembro de 2008

seu joão de souza

lembro-me até hoje desse senhor. era baixo, um pouco atarracado, usava chapéu, tinha feições honestas. era bom. lembro-me principalmente porque ao que vinha mexia com a gula infantil de todas nós, as filhas de assis. trazia goiabas, belas goiabas doces e maduras. dava água na boca.
toda época d safra lá chegava. todos o esperava. passava de chácara em chácara, de sítio em sítio. vendia alegria. mamãe comprava caixotes cheios para doce e para a gurizada comer até se fartar. uma vez dessas eu estava com sarampo, como todos são cheios de superstições e medo, não pude participar da festa. chorei muito. cantei até uns versinhos ... "goiaba pra nois cumer"... isso para bulir com a sensibilidade de mamãe. eu era tão pequena, com tanta vontade de comer feito as outras que cantava esse refrão como uma litania dolorosa. mas ela era determinada, dura, as vezes, em suas convicções. não e não! iria piorar e isso era ruim.
vanvan e cidinha comiam saborosamente em minha frente só de pura maldade infantil. minha boca quente pela febre alta se enchia d'agua. era desejo só. agora´só poderia sentir aquela belesura de sabor no próximo ano. ia demorar, pois seu joão de sousa tinha tempo de passar como todos que passaram em minha vida.

gigi pedroza

3 comentários:

Smith disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silva e Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silva e Silva disse...

Seu João de Souza, seus amores, seus alunos, seus amigos. São todos momentos, momentos lindos e maravilhosos,mesmo que enquanto acontecido agente não o tenha percebido sua grandeza, mas um dia na vida olhamos para trás e nos damos conta de que foram eternizados. A vida é feita de momentos, nem sempre alegres, nem sempre tristes, só momentos, momentos que ficam em nossas lembranças e nos fazem perceber que valeu e vale a pena viver e reviver a cada dia um dia e momentos novos. Gigi, parabéns. Nostalgico e encantador este texto.